Mauro Cavanha ganha o bronze na África

23 de November de 2010

O paranaense Mauro Cavanha, atual campeão brasileiro de triathlon olímpico, conquistou a medalha de bronze no 2010 Troutbeck ITU Triathlon African Cup disputada no último final de semana.

Ele completou o percurso olímpico em 2.07:50. Quem venceu foi o atleta Erhard Wolfaardt (RSA) com 2.05:59, ficando em segundo lugar Christo Phen Felgate (ZIM) com 2.06:26. É a última competição internacional da distância olímpica do calendário do ITU de 2010 que contou presença de brasileiros.

Fonte: www.cbtri.org.br

 

Quarta etapa do Estadual de aquathlon do Rio será no dia 5 de dezembro

17 de November de 2010

A quarta etapa do Campeonato Estadual de Aquathlon do Rio de Janeiro será disputada no dia 5 de dezembro na Praia de Copacabana (Posto 6). A prova terá 2 km de corrida, 750 metros de natação e novamente 2 km de corrida.

As inscrições estão abertas. Até o dia 26 o valor da taxa é: R$ 90,00. E até o dia 2 de dezembro: R$ 110,00. Sendo que os federados pagam: R$ 80,00 e R$ 100,00 obedecendo respectivamente as mesmas datas. A premiação será composta por troféus aos cinco primeiros no geral (masculino e feminino) e medalhas aos cinco primeiros de cada categoria.

As categorias (masculino e feminino) envolvidas são: 14/15, 16/17, 18/19, 20/24, 25/29, 30/34, 35/39, 40/44, 45/49, 50/54, 55/59, 60/64, 65/69 e de 70 anos em diante.

A programação prevê das 7h45 às 8h45 check-in e entrega dos kits no local da largada. Às 9 horas a largada e às 10h30 cerimônia de premiação.

O organizador é a Federação de Triathlon do Estado do Rio de Janeiro. Mais informações: telefone (21) 2554-9340, celular (21) 7833-4475 e fax (21) 2554-9340. Edwardo Coelho (Foto) é atleta da federação carioca.

Fonte: www.cbtri.org.br

Reflexões sobre Igor Amorelli, o Top 6 do mundo no Ironman 70.3

16 de November de 2010
Por Denis Pierry

Não é novidade para quem conhece triathlon a competência do catarinense Igor Amorelli nas provas de Ironman 70.3. Desde 2008 competindo na distância, Igor é praticamente insuperável dentro do país. Quando o assunto são provas internacionais sua regularidade o colocou como o 18º triatleta de maior valor do mundo entre todas as especialidades no final de 2009.

Depois de um início de ano precavido, quando o atleta se poupou de participar de algumas provas e segurou o ritmo nas provas de retorno, Igor chegou no segundo semestre confiante no seu objetivo. O vice campeonato do Ironman Brasil pelo terceiro ano seguido em setembro apontava que o trabalho vinha sendo muito bem feito por ele e sua equipe.

No dia 13 de novembro chegou o dia que todo o trabalho seria colocado à prova: o Mundial de Ironman 70.3 em Clearwater na Flórida. O Ironman 70.3 é a distância do triathlon que mais evoluiu em termos de participantes e de resultados nos últimos cinco anos. Sua importância chama atenção da mídia, patrocinadores e atletas de todo o mundo.

A prova ocorre durante o outono americano, a região do Golfo do México venta bastante. O amanhecer em Clearwater era frio, com ventos de 12km/h, mas a empolgação dos melhores do mundo na distância tornava a atmosfera maravilhosa para a largada.

Equipado com a última geração em roupas de borracha, Igor confiou em seu novo modelo Phantom da Aquasphere para encarar o mar gelado e transformar sua dedicação em desempenho dentro da água. Igor concluiu a natação liderando o segundo pelotão, com uma diferença de 50 segundos dos líderes. 

No ciclismo, o asfalto perfeito e o circuito plano elevam demais as médias. Ótimo para quem gosta de torcer o pé de vela. Igor pedalou forte e realizou uma das melhores parciais do dia, concluindo a etapa em 8º.

A etapa de corrida do Ironman 70.3 é realizada em ritmo alucinante, as médias das três modalidades do 70.3 hoje em dia estão muito mais próximas da prova olímpica do que do próprio Ironman. Sabendo da necessidade de realizar uma corrida de alto nível sem quebrar o ritmo durante os 21km, Igor vestiu seus tênis Saucony e partiu para corrida na captura dos seus concorrentes com determinação e alto conhecimento para manter-se forte durante toda a prova.

Igor conquistou mais duas posições e travou nos últimos 10 km uma batalha na captura do quinto colocado até os metros finais. Igor Amorelli foi o sexto melhor triatleta do mundo na distância a 13 segundos do 5º colocado, além de ser o único sul-americano entre os dez primeiros.

Outra boa notícia é que o atleta catarinense tem apenas 26 anos, pouca idade para o alto rendimento nessa distância dominada por atletas acima de 30 anos, podendo ter alto rendimento até os 40. Em 2011, o Mundial de 70.3 se muda, após cinco edições, para Las Vegas e nosso triatleta cada vez mais experiente na prova já planeja brigar pela vaga em março no Ironman 70.3 de Porto Rico.

Agradecimentos a Saucony, Aquaphere, 3T e Farma Total.

Fonte: www.cbtri.org.br

o Cobra está morto

16 de November de 2010

Polêmico, o italiano Riccardo Riccò (Vacansoleil) está disposto a quebrar o estigma de “bad-boy”, que o acompanha ao longo da carreira.

“Não sou mais agressivo como eu costumava ser”, disse o italiano ao Cycling News. “Uma época os jornais publicavam mais notícias de Ivan Basso, Vincenzo Nibali e Michele Scarponi, e isso me incomodava. Hoje não mais, sou um cara muito mais tranqüilo.”

Riccò afirmou que o “Cobra” – seu apelido no pelotão – está morto. Fazendo uma alusão ao seu novo momento. “Cobra está morto. Você não acredita em mim? É verdade”

O italiano realizou dois dias de treinamento intensivo com seu novo treinador, Aldo Sassi, na cidade de Milão. Com isso, Riccò é mais um dos seletos pupilos do treinador, o qual também fazem parte Ivan Basso, Cadel Evans e Damiano Cunego.

Muitos vêem a decisão de Riccò e a ligação com Sassi como uma tentativa deliberada de recuperar a credibilidade depois de testar positivo para CERA no Tour de France de 2008. O ciclista, no entanto, diz que a parceira nada tem a ver com isso.

“Eu estou fazendo isso por mim, não por outras pessoas”, disse “Tenho grandes objetivos e Aldo pode me ajudar a alcançá-los, é simples assim. Quando tivemos nossa conversa, não falamos em momento algum do doping. Não houve necessidade. Eu sempre estive ciente disso.”

Bem recebido e ambientado na Vacansoleil, Riccardo Riccò já mira o Giro d´Italia 2011. A equipe holandesa, 12ª colocada no ranking, deve receber a licença Pro-Tour, o que inclui as três grandes voltas.

“Com base na classificação no momento, não deve haver um problema de disputarmos o Giro e o Tour”, salientou. “O percurso do Giro é muito bom – extremamente difícil para os ciclistas, é preciso ter muita resistência. Não estou dizendo que vou ganhar ou terminar no pódio, eu só quero fazer o meu melhor e divertir as pessoas. Depois do Giro, Aldo gostaria que eu fosse ao Tour, mas vamos discutir o meu programa de corrida mais para frente e tomaremos a decisão.”

Por fim, Riccardo Riccò comentou a intenção da UCI (União Ciclística Internacional) em realizar exames antidoping noturno. “Queria saber onde isso vai parar. Mas também não cabe a mim decidir. Se as autoridades levarem isso à frente teremos que aceitar.”

fonte:www. prólogo.com.br

Acelere sua recuperação

27 de October de 2010

Mais desgastante que se machucar praticando seu esporte preferido é perder tempo e dinheiro indo a um médico para ouvir: “Tome um anti-inflamatório e pare de correr”. Para evitar essa dupla frustração, procure um especialista em medicina esportiva, diz Mark Tarnopolsky, corredor e pesquisador no Centro Médico da McMaster University, em Ontário, no Canadá. Correr é uma atividade complexa e, para diagnosticar e tratar corretamente uma lesão sofrida na corrida, você precisa de alguém com formação para reconhecer a origem do problema. “A maioria das lesões se deve a fatores fáceis de identificar – você aumentou o volume de treino muito rápido ou comprou um par de tênis que alterou sua passada”, explica Tarnopolsky. “Você quer alguém que vá à raiz do problema, em vez de mascará-lo com anti-inflamatórios e descanso.”

www.ativo.com

Livre, Pellizotti é sondado por equipes

27 de October de 2010

Liberado pelo CONI para retornar as competições, o italiano Franco Pellizotti já estuda propostas de algumas equipes para a temporada 2011, que inclui Sky, Astana, Geox e Movistar.

Pellizotti foi suspenso após seu “passaporte biológico” apresentar níveis de alteração consideráveis, no final de maio. Ele sempre alegou inocência e acabou tendo sua punição suspensa na última semana.

A UCI (União Ciclística Internacional) não decidiu ser irá recorrer da decisão. Por enquanto, o ciclista italiano está livre para competir e desperta interesse de muitas equipes na Europa.

“Franco está de férias, mas estamos trabalhando duro para encontrar um novo contrato para ele”, disse seu agente disse Alex Carera.

“Várias equipes demonstraram interesse em contratá-lo, incluindo Sky, Astana, Movistar, Geox e Acqua & Sapone. Seu contrato com a Liquigás termina este ano, mas também estamos conversando com eles, porque eles sinalizaram de maneira favorável a sua permanência.”

fonte: www.prologo.com

Juntos novamente?

22 de October de 2010

Andy Rhis, gerente da BMC, deixou claro seu descontentamento quando questionada a possibilidade de contar com o suíço Fabian Cancellara em 2011. De acordo com ele, uma proposta foi feita ao campeão mundial de contrarrelógio, mas não houve resposta.

“Ele não respondeu ou sinalizou em relação a nossa proposta. Até aqui não há nenhuma novidade, por isso acredito que, novamente, esteja ao lado dos irmãos Schleck. Fizemos uma oferta muito boa, mas acredito que aja mais dinheiro em outro lugar”, disparou Rhis.

Partindo de encontro às declarações de Rhis, o manager da equipe de Luxemburgo, Brian Nygaard, afirmou que “Cancellara necessita de uma equipe como a dele”; reforçando os indícios de um suposto acerto entre as partes.
Principal interessado numa definição sobre seu futuro, Fabian Cancellara admitiu – nas entrelinhas – que seu destino deve ser o time luxemburguês. “O mais importante é estar ao lado de pessoas que me fazem bem, que me sinta confortável. Necessito do meu mecânico e do meu massagista. Necessito estar num ambiente perfeito e pensei muito sobre isso neste final de temporada.”

Aos 29 anos, Cancellara entrou para a história ao conquistar em outubro seu quarto título mundial, disputado em Melbourne (Austrália). O suiço conquistou os títulos de 2006, 2007, 2009 e 2010. Na atual temporada, ele venceu as clássicas Paris-Roubaix e o Tour de Flandres, além de um CRI no Tour de France.

Lance Armstrong no cinema

22 de October de 2010

O norte-americano Lance Armstrong, enfim, terá um filme que conta a trajetória do heptacampeão do Tour de France, um projeto que está há anos em desenvolvimento. O escolhido para interpretar o ciclista é o ator Matt Damon, protagonista de “Invictus” (2009) e “Gênio Indomável” (1997).

O filme será do produtor Frank Marshall, que também estará encarregado da direção. O roteiro será baseado no primeiro livro de Armstrong “It’s Not About the Bike.”, e trata sobre a infância no Texas, o diagnóstico de câncer, em 1996, passando pelo relacionamento com a família até o retorno as competições.

O projeto nasceu há seis anos, e apesar de não ser concretizado, até então, também nunca foi descartado pelos produtores.

Além de interpretar Armstrong, Damon será o narrador de um documentário centrado no retorno do ciclista ao Tour de France em 2009, depois de ter se afastado da competição em 2005.

Neozelandês domina etapa entre Sorocaba e Atibaia

22 de October de 2010

O neozelandês Jeremy Yates (Blackpeloton Cicloravena /Nova Zelândia) venceu a 6ª etapa do Tour do Brasil / Volta Ciclística do Estado de São Paulo, após 140 quilômetros entre as cidades de Sorocaba e Atibaia. O resultado pode ser considerado de suma importância para a equipe neozelandesa, que no último ano não havia conquistado nenhuma vitória na competição.

O percurso foi marcado pelas diversas ascensões e curvas, com os últimos quilômetros marcados por trechos de paralelepípedos. Yates, que fez parte de um grupo escapado desde o início da etapa, conseguiu abrir uma boa margem para os demais ciclistas e cruzou a meta sozinho.

Já o alemãoBjorn Thuray (RSC Komet Ludwigsburg) terminou na segunda colocação – 18 segundos atrás de Jeremy Yates. O melhor brasileiro na etapa foi Flávio Reblin (Avaí/Florianópolis) que ficou com a terceira posição.

Campeão do Tour do Brasil/ Volta Ciclística de São Paulo em 2008, o ciclista Gregolry Panizo (Clube DataRo de Ciclismo) assegurou o quarto lugar.

Na classificação geral não houve alterações, no entanto, Magno Nazaret conseguiu preciosos 15 segundos de vantagem sobre seu companheiro e camisa amarela Flávio Cardoso, e acirrou ainda mais a disputa pelo título da competição.

Classificação da 6ª etapa completa
Classificação Geral completa
Classificação Geral por equipes
Classificação por pontos
Classificação de montanha

Principal adversário de Cielo, francês Bousquet é suspenso por doping

20 de October de 2010

A Federação Francesa de Natação suspendeu o nadador francês Frédérick Bousquet por dois meses após o resultado positivo do exame antidoping para uma substância que, segundo ele, estava em um medicamento que tomou em junho. A suspensão, revelada nesta quarta-feira pelo jornal “L’Equipe”, começou a valer no dia 20 de setembro, mas não tinha sido divulgada diante da convicção de que Bousquet não tinha a intenção de se dopar. Ele é o principal adversário de Cesar Cielo nos 50m livre, prova em que o brasileiro é recordista mundial (20s91). Eles treinavam juntos em Auburn, nos EUA, com o técnico Brett Hawke.

A substância, detectada em um exame no dia 13 de junho durante uma prova em Canet-en-Roussillon (sul da França), é o heptaminol, um estimulante unicamente proibido nas fases de competição. Bousquet, também conhecido por namorar a também nadadora francesa Laure Manaudou, reconheceu sua responsabilidade e disse que merece a punição, em entrevista ao “L’Equipe” na qual explicou sua versão sobre as condições em que tudo aconteceu.

Segundo o nadador, justo antes da competição de Canet-en-Roussillon, ele sofreu “uma crise violenta” de “uma doença muito peculiar” que é tratada com um medicamento que não contém substâncias proibidas no esporte. Mas no momento da crise ele não tinha o remédio que habitualmente usa para tratá-la. Foi então à farmácia, onde lhe deram outro, sem receita médica, e Bousquet o tomou sem ler a bula.

- Há oito anos estou me curando de um problema com um medicamento que não contém esta substância proibida (…), mas justamente antes de uma competição tive uma crise e fui a uma farmácia de Canet que conheço muito bem. Me deram este produto, que pode ser comprado sem receita (…), e o tomei sem ler a bula – disse.

Já em entrevista a uma emissora de rádio, Bousquet disse que tomou o medicamento para curar hemorróidas.

Como a suspensão começou a contar a partir de 20 de setembro, estará liberado para disputar os Campeonatos da França, no começo de dezembro.

No dia 26 de abril do ano passado, durante o Campeonato Francês, em Montpellier, Bousquet quebrou o recorde mundial dos 50m livre ao estabelecer, vestindo um supermaiô, 20s94. Ele foi o primeiro nadador a completar em menos de 21s a prova.

Em agosto desde ano, o francês conseguiu, duas vezes, superar os 21s55 de Cielo, melhor marca desde a proibição dos supermaiôs – regra que começou a valer em janeiro deste ano. No Europeu, em Bousquet cravou 21s36 nas eliminatórias e 21s49 para faturar o ouro.